CFL @ 16:32

Sab, 19/03/05

Menos 75 000 funcionários públicos
Qualquer aluno de Direito Administrativo estará cansado de ouvir falar nisto. Qualquer português já está farto de ouvir. Há funcionários públicos a mais. Há, pois há. Mas onde é que eles estão quando o sr. António quer ser atendido? Há funcionários públicos a mais. Há, pois há. Mas onde é que eles estão quando o reembolso do IRS só chega em Outubro? Os funcionários públicos a mais estão doentes. Os funcionários públicos a mais estão de férias. Os funcionários públicos a mais estão a trabalhar na Direcção de Finanças a ler revistas e jornais durante todo o dia. Há funcionários públicos a mais. Há, pois há. Há funcionários públicos a mais nas repartições do interior do país. Há funcionários públicos a mais onde não são precisos. Há funcionários públicos a menos onde deviam estar. O peso dos funcionários públicos tem de ser reduzido mas como o Estado não pode mandá-los todos ao Dr. Tallon. Então, em vez de fazer ginástica localizada opta pela anorexia.

Aumento da idade da reforma
Somos um país pobre com uma Segurança Social às portas da morte. O que é preocupante. Então não é que a D. Ermelinda andou a pagar a vida inteira 11% do seu magro rendimento como telefonista e agora a Segurança Social vai morrer antes dela? Então o Estado teve uma ideia: manter a Segurança Social em coma. Vamos liga-la à máquina! Vamos prolongar até não poder mais a vida da nossa querida Segurança Social! A Segurança Social não pode morrer!! A Segurança Social é um direito de todos previsto no art. 63.º da Constituição! O problema vai ser quando a máquina que mantém viva a Segurança Social crashar porque a D. Ermelinda, 89 anos, está no emprego a tentar mandar um e-mail ao chefe. É o que se chama um choque... tecnológico. Só possível porque os velhinhos trabalhadores estão dispostos a aprender todas estas novas e tão chocantes tecnologias.

Medicamentos à venda nos hipermercados
É que os farmacêuticos até nem são técnicos especializados. É que é sempre bom poder ir ao Continente comprar o Antigripine. E também é bom aproveitar aquelas compras para o jantar romântico e comprar a pílula do dia seguinte, não vá o Diabo tecê-las. E se os miúdos de 14 anos podem ir ao Jumbo comprar cinco garrafas de vodka, porque é que não podem ir comprar cinco caixas de Cêgripe e baldarem-se às aulas para passarem uma agradável tarde dopados, em vez de embriagados? Os laboratórios responsáveis é que não vão gostar de ter de gastar tantos euros a mudar as embalagens, porque o "manter fora do alcance das crianças" terá de ser alterado para um "consumir com moderação". Sempre sai mais barato alterar as caixas do que obrigar o Carrefour a instalar corredores especiais, com barreiras electrónicas e seguranças de dois em dois metros para não deixar que os putos saltem a cerca.

E já agora... será que o Lidl não tem por aí uns comprimidos para emagrecer a função pública? Ou até mesmo umas pílulazitas de rejuvenescimento para a sra. Segurança Social?...




CFL @ 02:27

Qui, 17/03/05

Perdoem-me os maus funcionários públicos. Mas já na Bíblia se separava o trigo do joio.

Não há nenhum empregado do Estado que não force o sorrisinho amarelo quando ouve falar de si.

_ Ahh... Esses preguiçosos!! Não fazem nada o dia inteiro! _ começa a sra. Maria que já está à espera que a atendam há 30 minutos sem se sentar. E que ainda por cima é diabética. Não pode estar muito tempo naquela fila demoníaca.

_ Vem uma pessôa práqui... já tô aqui há 5 horas e estes gajos não me querem preencher o IRS!! _ responde o sr. Albertino, de cigarro ao canto da boca, passando nervosamente as facturas da farmácia, do colégio privado das três criancinhas (coitadinhas!), do banco a provar que depositou os 600 euros na CPH e, já agora, também do computador novo que comprou para a sua mais velha ("Já não entra este ano?? Éh lá... com essa é que eu não contava! Sempre são menos umas lecas... e a vida agora está tão difícil... o colégio dos putos sempre a aumentar!"

_ São o mal do país!! Isto não anda por causa deles! _ finaliza, de nariz torcido, a dra. Sofia, advogada, que desta vez não conseguiu convencer ninguém de que o IRS não era dela mas sim do seu cliente e por isso não consegue passar à frente e ali ficará, ao pé de tanta gentinha, mais umas boas 3 horas.

Mas afinal de quem é a culpa? É do Cavaco que inventou o IRS? É do regime da função pública? É da organização dos serviços do Estado? É de Deus? É do Diabo?

Chega a hora de separar o trigo do joio: há o funcionário que entra às 9:12h quando devia entrar às 9h, que faz uma pausa para o cafézinho matinal às 10:30h em ponto e só volta às 12h, saindo depois às 12:27h quando só devia sair às 12:30h ("O que é que são três minutinhos? Assim sempre chego mais cedo ali à tasca do Manel e ainda bebo mais umas jolas!"). Regressa às 14:05h, a cheirar a álcool depois de 3 jolas, 2 copos de tintol e um digestivozinho, atende contribuintes até às 16:15h ("Ai, ai, que já passa da hora de fechar!"), e depois discute o jogo do Benfica ("Ah! Aquilo é que foi! Este ano somos campeões!") até às 17:30h, quando, qual pulga saltitona, se levanta e vai para casa, extenuado, coitado, por ter um emprego tão mau.

Depois, há o funcionário público que chega à repartição às 8:30h, faz uma pausa às 10h e volta às 10:15h. Fica a trabalhar até às 13h (lá se foi a hora de almoço...), às 14h já lá está e só sai já as 17:30h passaram há muito. E depois chega a casa preocupado porque não fez aquele ofício, porque não respondeu àquela reclamação, porque quem lhe dera ter mais formação para melhor fazer o seu trabalho.

Há quem não acredite que o segundo existe, nunca viu nenhum... o funcionário público trabalhador é como um pilhão - há milhões deles espalhados por aí mas nunca ninguém viu nenhum! Acreditem ou não, eu já vi. Os dois. O bom. E o mau.

Mas o bom ganha mais que o mau? Não. Por acaso o mau até é mais velho por isso ganha mais (a antiguidade é posto, não sabiam?)... mas para quê chatear-se? Mais meia dúzia de anos e pede a reforma...




CFL @ 23:54

Qua, 16/03/05

Detesto blogs. São irritantes perdas de espaço onde quem pensa que sabe escrever procura por todos os meios fazer vingar a sua literatura floreada, tentando passar a sua mensagem, qual comentador político de um qualquer programa desinformativo da nossa praça. E todos os blogs são eruditos, todos os escritores bloguistas sabem do que falam. Eu também não sei do que falo. E por isso mesmo, em jeito de inauguração de mais um blog convencido de que a sua filosofia é a verdadeira filosofia e não mera adulação, fica o final da MENSAGEM de Fernando Pessoa, talvez o texto que melhor traduz o espírito que este blog terá. Obrigada.

NEVOEIRO

Nem rei nem lei, nem paz nem guerra,
Define com perfil e ser
Este fulgor baço da terra
Que é Portugal a entristecer -
Brilho sem luz e sem arder,
Como o que o fogo-fátuo encerra.

Ninguém sabe que coisa quer.
Ninguém conhece que alma tem,
Nem o que é mal nem o que é bem.
(Que ânsia distante perto chora?)
Tudo é incerto e derradeiro.
Tudo é disperso, nada é inteiro.
Ó Portugal, hoje és nevoeiro... (...)



Março 2005
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
11
12

13
14
15
18

20
21
22
23
24
25
26

27
28
29
30
31


Arquivo de Ideias
Procurar ideias
 
subscrever feeds
blogs SAPO