CFL @ 00:32

Ter, 29/01/08

O Segredo. Já há muito que o sabia. Vi muitas coisas acontecerem para saber como Deus (ou o que quer que seja que lhe chamemos) puxa as linhas do Destino ora para cá, ora para lá. Tudo o que fazemos volta para nós. E isso não é segredo nenhum. Chamem-lhe karma, chamem-lhe castigo, chamem-lhe aprendizagem, ou chamem-lhe mesmo uma teoria da retribuição que justifique o fim das penas.

Tudo o que fazemos volta para nós.

E é quando isso acontece aos outros, que crescemos.

O segredo é mesmo aprender a calar dentro de nós a vontade de rir. De dizer que avisei. De rir mais um pouco. Porque - amigos, vocês já o sabem - o Destino pode brincar mas somos nós quem ri no fim.

E conseguir calar dentro de nós a vontade de rir é estar um passo mais além.

Perdoar também.

Porque, sempre, sempre, tudo o que fazemos volta para nós.

É esse o segredo.

 




CFL @ 01:22

Ter, 22/01/08

Porque é que quando eu já vou no meu caminho, pronta para não olhar para trás e apenas com pena de não ter pena, tu me chamas e agarras outra vez?

 

E eu sei que não é suficiente.




CFL @ 00:41

Dom, 20/01/08

 

Am I overcompensating?

Que se lixe.

A minha vida agora é outra e descobri que ainda posso sonhar aqueles sonhos antigos.

Em tudo.

Estou só a começar.


Tags:


CFL @ 01:00

Qui, 10/01/08

"Partir... / É como deixar / Um pouco de nós / Em qualquer lugar...

Ver partir... / É como ficar / Com quem vai p'ra longe / P'ra outro lugar...

Esta distância que separa o Mundo / Dói no silêncio de um querer profundo

Fica um vazio de tanto esperar / Que um dia alguém se volte a encontrar..."

 

Esta música, tantas vezes repetida em noites de luar, ressoa-me nos ouvidos nos últimos dias, como se dissesse para mim própria que esta é a hora de partir... para outro lugar.

Sempre fomos sinceros e dissemos adeus com toda essa sinceridade. Mas ver partir custa sempre e ao partir deixo-te para sempre um pouco de mim. E um abraço com a certeza de não voltar. Há coisas que ficam e há coisas que se repetem. Como ficar igual quando nada pode ser o mesmo? Como partir mas ao mesmo tempo ficar? Como avançar mas guardar para sempre este momento como se fosse eternamente agora? Como ficar contigo sem ficar e como não ficar se estás aqui? Como esquecer o que podia ter sido e o que nunca será?

 

Mas é a hora de partir. Basta só respirar fundo e começar a viagem.

 

Seremos sempre um pouco do que já fomos.




Janeiro 2008
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
11
12

13
14
15
16
17
18
19

21
23
24
25
26

27
28
30
31


Arquivo de Ideias
Procurar ideias
 
subscrever feeds
blogs SAPO