CFL @ 21:00

Qua, 14/01/09

 

Foi há um mês que me despedi de ti. Como ninguém nunca deveria ter de se despedir. E hoje percebi, pela primeira vez, que partiste mesmo. No teu lugar tenho agora apenas muitas folhas de papel, recordações de outros momentos, a tua letra à mão numa simples agenda. A matrícula do meu carro. Um porta-chaves que te fiz. Partiste mesmo. E as ondas do Tejo, naquele dia, vão ficar para sempre comigo. Estive contigo nas duas semanas mais longas da minha vida, nas duas semanas mais curtas de sempre. A tua mão na minha, a forma como a seguravas. O teu olhar, o teu sorriso. O jornal que passei a comprar quase todos os dias, o que te pude oferecer. A tua mão. A tua mão que tantas vezes segurou a minha, a tua mão que me levou em passeios pelo parque quando era pequena. A tua mão que já não posso nunca mais tocar.

 

Hoje percebi. Percebi que quinze dias não são nada, percebi que fizemos deles tudo. Agora de ti, resto só eu. E o amor que sempre te vou ter. As manhãs na praia, o ser igual a ti, os teus vinte e três cromossomas que estão em mim. A saudade de ti... ir àquele café e pensar que te posso encontrar. Cruzar a minha rua e sentir que te podia ver. As nossas férias, aquela praia. O blazer azul escuro que vestias quando me levavas à escola... o teu after-shave. A nossa vida, a tua vida na minha vida. Tu. Hoje percebi que partiste mesmo.

 

Pai, vou sentir sempre a tua falta. Vais estar sempre na minha vida. Amo-te. Amei-te... e amar-te-ei sempre. E eu sei que partiste... mas existes aqui. Para sempre.

 


Tags:


CFL @ 20:43

Ter, 13/01/09


Tags:

Janeiro 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

11
12
15
16
17

18
19
20
21
22
23
24

25
26
27
28
29
30
31


Arquivo de Ideias
Procurar ideias
 
subscrever feeds
blogs SAPO