CFL @ 01:21

Dom, 20/04/08

"Senti as emoções descerem todo o meu ser, arranhando a minha alma à sua passagem. Repentinamente. Rápido mas com tamanha força que a sensação ficou durante minutos. Um reboliço no estômago, uma dor na alma, um calor no rosto e um aperto no coração. Só porque tu passaste por mim. De repente. Sem eu esperar e sem tu esperares." (Às Vezes, 15 de Abril de 2002)

 

E se for só um reboliço no estômago e um calor no rosto? Sem dor na alma, mas talvez com um ligeiro aperto no coração...

 

É diferente?

 

Eu sei que sim.

 

 



Zeta @ 15:33

Ter, 22/04/08

 

Assim como tu, também eu sei que sim amiga. A dor na alma é o que faz a diferença, é o que muda tudo, é o que faz com que seja diferente... Apesar de ser uma dor, que nós sentimos como se fosse mesmo uma dor fisica, não vivo sem essa dor amiga, é ela que dá brilho aos meus dias e que mantém o meu mundo sempre cor-de-rosa (e o teu vermelho)...


NEOABJECCIONISMO @ 16:57

Sex, 25/04/08

 

As contracções, os espasmos doces, a alegria da presença da fálica e doce imagem do amor. Sem dores na alma, a despertar os desejos, as paixões.
Saudações amigas

Abril 2008
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
11
12

13
14
15
16
17
18
19

21
22
23
24
26

27
28
29
30


Arquivo de Ideias
Procurar ideias
 
blogs SAPO